Dia dos Mortos

Matéria de Cinema – Texto publicado originalmente em A ARCA, em 21/07/2005.

…ou: OLÁ, TIA ALICIA!

Em 1985, chega às telas o longa “menos ótimo” da cinessérie zombie idealizada por George A. Romero: Dia dos Mortos (Day of the Dead). Embora seja o filme que menos arrecadou nas bilheterias – custou US$ 3,5 milhões e rendeu apenas US$ 5,8 milhões -, o próprio cineasta não cansa de bradar que este é o seu preferido; opinião compartilhada por boa parte dos fãs ardorosos do diretor. Dando continuidade à “evolução” das fitas anteriores, em Dia dos Mortos o país está totalmente dominado pelos seres macabros. Os poucos sobreviventes resumem-se a cientistas e militares que vivem em bunkers subterrâneos, tentando entrar em contato com possíveis sobreviventes da epidemia em outros estados, pesquisando formas de domesticar os zumbis (!) e de reverter a situação.

George Romero aproveita para alfinetar novamente a política ianque, e aqui seu alvo central é a ausência de limites da ciência – e suas conseqüências. Este ponto toma forma na figura do Dr. Logan “Frankenstein” (Richard Liberty), que representa uma última esperança para a humanidade ao desenvolver o processo de “treinamento” dos mortos-vivos e obter resultados até satisfatórios no defunto Bub (prevendo o processo natural pelo qual o zumbi Big Daddy passa no novo Terra dos Mortos). A questão é que talvez os sobreviventes não consigam concluir seu trabalho a tempo, visto que o estoque de mantimentos está no fim, e um exército de zumbis está perto de conseguir invadir o bunker

O maior trunfo de Dia dos Mortos é o impressionante trabalho do maquiador Tom Savini. Aqui, os zumbis são totalmente realistas, e cada um deles carrega uma maquiagem diferente e muito bem detalhada, com destaque para o aterrorizante cadáver dos créditos de abertura, que não possui mandíbula (credo!). No que diz respeito ao enredo, este é o mais sério, escatológico e pessimista dos três. Dia dos Mortos apresenta também a primeira frase saída da boca de um zumbi: “Olá, Tia Alicia”, proferido por Bub.

E sim, aqui os extras também ganham presentinhos! Além do lendário cachê de um dólar, os figurantes receberam um boné com a inscrição Eu fui um zumbi em “Dia dos Mortos” e um exemplar do jornal que aparece na primeira cena do filme, com a manchete THE DEAD WALK (os mortos andam)…

DAY OF THE DEAD • EUA • 1985
Direção de George A. Romero • Roteiro de George A. Romero
Elenco: Lori Cardille, Terry Alexander, Joseph Pilato, Jarlath Conroy, Anthony Dileo Jr., Richard Liberty, Sherman Howard.
102 min. • Distribuição: Anchor Bay Entertainment.

 

GEORGE A. ROMERO E A TRILOGIA DOS MORTOS
Matéria publicada originalmente em A ARCA, em 21/07/2005
Complemento do especial para a estréia do longa-metragem TERRA DOS MORTOS (Land of the Dead).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: