Amityville – A Lenda, os Fatos e os Filmes

Matéria de Cinema – Texto publicado originalmente em A ARCA, em 15/08/2005.

Amityville - A Lenda, os Fatos e os Filmes

Um dos mais bacanudos mitos do cinema de horror corresponde à uma horripilante mansão localizada num certo vilarejo em Long Island, há cerca de 30 quilômetros de Nova York. A misteriosa e dita mal-assombrada casa de número 112 da Avenida Ocean, no bairro de Amityville, serviu de palco para uma aterrorizante lenda urbana dos Estados Unidos, e protagonizou dezenas de trabalhos na literatura, no cinema e até na música – pelas mãos do “mano” Eminem (ugh!). E prepara-se para ganhar as telas mais uma vez, com o esperado Horror em Amityville, refilmagem do cultuado longa Amityville: A Cidade do Horror, de 1979. Não preciso dizer que serei o primeiríssimo da fila, não? E também não preciso dizer que, antes de correr ao cinema mais próximo, serei forçado a passar na farmácia e comprar pelo menos três pacotes de Pampers Extra Forte. Se o filme é bom? Não sei. Mas uso as fraldinhas mesmo assim. :-D

O fato é que, como comentei aqui, sou um senhor el cagón quando o assunto é “fantasmas”. Sim, até o Gasparzinho e o Patrick Swayze fazendo cerâmica me dão medo (bem, o Patrick Swayze me dá medo de qualquer jeito). E a origem do enredo de Horror em Amityville é simplesmente de deixar qualquer um tão branco quanto o Frajola quando dá de cara com aquele cachorrão do vizinho. A possiblidade de tudo aquilo que é mostrado ser real me arrepia até o último fio de cabelo. Pois é, dizem que o lance realmente aconteceu! Sai fora!

O QUE ROLOU, AFINAL DE CONTAS?

Bem, já que muitos certamente não devem conhecer a verdadeira história por trás da casa macabra, explicarei o negócio resumidamente: em 13 de novembro de 1974, o jovem Ronald DeFeo Jr., de apenas 23 anos, matou seus pais, Ronald e Louise DeFeo, e os quatro irmãos pequenos, Marc, Allison, John e Dawn. Aparentemente sem motivos, Ronald Jr., visivelmente muito abalado com a tragédia que causou, jurou de pé junto que foi “obrigado” a cometer os assassinatos por uma suposta “força demoníaca” que habitava o lar-doce-lar dos DeFeo. A explicação: a casa teria sido construída no exato local de um antiquíssimo e desconhecido cemitério índio. Ronald DeFeo Jr. foi preso e cumpre pena até hoje.

Pouco tempo depois do trágico acontecimento, mais exatamente um ano e um mês (18/12/1975), o casal George e Kathy Lutz (ao que consta, nomes fictícios) e seus três filhos pequenos mudaram-se para a Ocean Avenue 112. A família não se incomodava com os eventos ocorridos naquela mesma residência a tão pouco tempo, e estavam muito mais preocupados com o fato de ter adquirido uma belíssima casa a preço de banana – US$ 80 mil, para ser mais exato. Eles durariam apenas 28 dias em Amityville, fugindo ao final deste período e alegando ter sido “molestados” e “expulsos” por espectros que, segundo as descrições fornecidas, seriam da família DeFeo. Vixe!

O PESADELO DA FAMÍLIA LUTZ

Logo na primeira noite, sinais de mudanças na personalidade do casal eram notáveis. George e Kathy, tidos como um modelo de comportamento familiar, demonstravam uma leve impaciência com seus filhos. Já as crianças, elogiadas por sua boa educação, tornaram-se agressivas e malcriadas. O lance piorou na semana seguinte, quando manchas negras e uma espécie de limo verde surgiram nas paredes dos banheiros e diversos odores bizarros espalharam-se pelos cômodos da casa. Centenas de moscas invadiram o quarto usado por Kathy para costurar.

À medida que os dias se passavam, os fenômenos manifestavam-se de formas cada vez mais intensas e arrepiantes, tomando proporções inimagináveis: Kathy era constantemente “alisada” por mãos invisíveis que, em muitos momentos, a faziam desmaiar. Enquanto isto, George era perturbado por ataques de frio e sempre acordava às 3:15 da manhã – o suposto mesmo horário em que os DeFeo foram assassinados, segundo os médicos – embora isto não seja confirmado por muitos legistas que afirmam que não há como definir um horário para os crimes. Outros acontecimentos medonhos envolviam Kathy levitando da cama ou transformando-se numa anciã de mais de 90 anos (!), George vendo a mórbida cabeça levitante de Ronald DeFeo no porão (somente a cabeça), e a súbita e intermitente aparição de um porco flutuante e com olhos vermelhos, chamado Jodie – nome dado pela filha menor dos Lutz.

O martírio dos Lutz em Amityville encerrou-se quando George decidiu chamar um padre para benzer a casa. O tal padre em questão presenciara anteriormente o primeiro evento perturbador no local: no dia da mudança, entrou sozinho no antigo quarto de Marc e John DeFeo e, ao borrifar água santa e proferir uma oração, ouviu uma alta e aguda voz masculina berrar “Get out!” (saia daqui). O padre, que passou a ser molestado pelos mesmos espíritos desde então, recusou-se a pisar novamente no lugar. Sozinhos e sem poder contar com o auxílio de ninguém, ao tentar “exorcizar” a casa munidos de um crucifixo, George e Kathy testemunharam um coro de vozes distorcidas gritando “will you stop?” (vocês irão parar?). Foi o que bastou para a família recolher apenas os pertences mais importantes e fugir dali com a roupa do corpo.

Não sei porque diabos não fizeram isto antes! Se fosse eu, nem passar na mesma calçada desta casa eu passava! :-P

É TUDO VERDADE?

A esmagadora maioria defende que não. Especialistas encontraram diversas contradições quando compararam os fatos à descrição dos acontecimentos. Só pra citar um exemplo: segundo George Lutz, muitas das portas e janelas foram arrancadas pelos espíritos, mas as dobradiças, maçanetas e parafusos ao estilo vitoriano, tão antigos que sequer existiam mais para venda, continuavam tão intactas quanto à época anterior aos assassinatos. O Padre Ralph Pecoraro, que teria sido expluso da casa pelos espíritos (além de levar uma bofetada de uma mão invisível), cansou de declarar que isto jamais aconteceu. E, por fim, o próprio Ronald DeFeo, na cadeia, confessou que toda esta história de assombrações em Amityville foi criada com o consentimento dos Lutz com a única finalidade de ganhar uns trocados – aliás, o fato de ganhar uma mesada baixa teria sido o único motivo que levou Ronald a assassinar seus pais.

O próprio website oficial do vilarejo de Amityville afirma que a casa sofreu apenas “dois horrores”: o terrível assassinato cometido por Ronald Jr. e a indiferença e falta-de-educação dos populares e curiosos que insistem em invadir a privacidade dos atuais moradores do 112. Credo, e ainda tem gente que mora lá? :-P

Entretanto, alguns ainda batem o pé que sim, existem fantasmas na conhecida residência da Ocean Avenue. Enquanto sensitivos e parapsicólogos de plantão afirmem que a casa abriga uma enorme quantidade de energias malignas, George divulga a quem quiser ouvir que, embora tenha mesmo “romanceado” certos trechos, muito do que revelou é real. Este é o mesmo ponto defendido por Jay Anson, autor do controverso best-seller O Horror em Amityville, livro lançado em 1977 que narra o infortúnio dos Lutz com uma riqueza de detalhes impressionante. O romance, traduzido para diversos idiomas, tornou-se um fenômeno de vendas em todo o mundo e é considerado por uma parcela fiel como o mais assustador exercício de suspense em muito tempo.

Quanto ao lance todo, não sei se é real ou não, mas eu é que não vou tentar descobrir! :-P

A CASA MAL-ASSOMBRADA NO CINEMA

Com todo o sucesso do livro, uma adaptação para os cinemas já era mais do que esperada. E na falta de uma, vieram nove! Nove, claro, contando com o novo longa que chega aos cinemas nesta sexta, dia 19/08. Uma pena que aquilo que começou muito bom com a primeira produção, seguiu ladeira abaixo à medida que continuações e variações foram brotando, até botar tudo a perder com o horroroso capítulo oito da saga… Confira abaixo todas as passagens da amaldiçoada casa de Amityville nas telonas (e nas telinhas, já que metade foi feito para a TV!):

• Amityville, a Cidade do Horror (1979)

o diretor: Stuart Rosenberg
quem estava na casa: James Brolin, Margot Kidder, Rod Steiger, Helen Shaver, Michael Sacks.

o que rola: Este primeiro longa nada mais é do que a adaptação do livro para as telonas. George e Kathy, respectivamente interpretados por James Brolin (Traffic) e Margot Kidder (Superman – O Filme), vêem seu sonho transformar-se em pesadelo com o surgimento de estranhas manifestações na casa. Além de ser um filmão – mesmo que esteja meio datado -, ainda conta com dois pontos a favor: a ótima trilha sonora assinada pelo lendário Lalo Schifrin (indicada ao Oscar) e a presença sempre bem-vinda do saudoso Rod Steiger, como o padre responsável pelo “exorcismo”.

nível de medo: Total. Assista durante o dia, e segurando na mão de alguém.

• Terror em Amityville (1982)

o diretor: Damiano Damiani
quem estava na casa: James Olson, Burt Young, Rutanya Alda, Jack Magner.

o que rola: A segunda incursão da casa no cinema é tida como ainda melhor. Aqui, o que vemos é uma espécie de prequel: a família Montelli muda-se para a mansão da Ocean Avenue. O que eles não sabem é que a casa foi construída em cima de um cemitério indígena. A coisa fica ainda pior quando o filho mais velho é possuído e induzido a matar sua família, “o mal de todos os problemas”. Um bom filme, embora conte com o grande sofrimento que é a “pseudo-atuação” de Rutanya Alda (quem?), merecidamente indicada ao prêmio de Pior Atriz no Framboesa de Ouro…

nível de medo: 80%. Assista enrolado(a) num cobertor e, quando aquela sucessão de sustos passear pela tela, não tenha medo de cobrir até a cabeça!

• Amityville 3: O Demônio (1983)

o diretor: Richard Fleischer
quem estava na casa: Tony Roberts, Tess Harper, Robert Joy, Candy Clark, Lori Loughlin, Meg Ryan.

o que rola: É neste capítulo que a qualidade começa a descambar. A história acompanha o jornalista John Baxter. Baxter, que está atrás de uma boa matéria, decide passar uns tempos em nossa querida amiga casa para saber se a lenda que a envolve é real – e para esquecer sua filha, morta num acidente pouco tempo antes. O problema é que Baxter começa a ver a garota “viva” andando pela casa, e encontra também um dêmonio preso no porão… Impossível acreditar que o diretor desta fitinha é ninguém menos que o filho do animador Max Fleischer (criador de Betty Boop). Duas curiosidades: Amityville 3 foi rodado em 3-D, e foi o segundo trabalho na carreira cinematográfica da rainha dos filmes água-com-açúcar Meg Ryan.

nível de medo: 20%. A (má) qualidade do filme dá muito medo. E só. Pelo menos é melhor do que As Aventuras de Shark Boy & Lava Girl.

• Amityville 4: A Maldição (1989)

o diretor: Sandor Stern
quem estava na casa: Patty Duke, Jane Wyatt, Frederic Lehne, Lou Hancock, Aron Eisenberg.

o que rola: A partir deste quarto episódio, feito para a TV, a série desvia totalmente de sua premissa original. Olhem só o absurdo da situação: o tal demônio que vive no porão da casa da Ocean Avenue consegue escapar de sua prisão. Paralelamente, uma mulher que vive na Califórnia ganha um abajur, e descobre que este artefato veio justamente da mansão amaldiçoada (!). Aos poucos, ela passa a ver um demônio que manifesta-se na forma de seu falecido pai, e tenta possuí-la de todas as maneiras… Toscão, não é mesmo? Pois acredite se quiser: até que não chega a ser tãããão ruim!

nível de medo: 45%. Dá pra assistir sem maiores traumas, embora não haja um pingo de medo de verdade nesta fita. Pelo menos diverte um pouco…

• A Maldição de Amityville (1990)

o diretor: Tom Berry
quem estava na casa: Kim Coates, Dawna Wightman, Helen Hughes, David Stein, Anthony Dean Rubes, Cassandra Gava (oi?).

o que rola: Também conhecido como “o que aconteceria se Wes Craven e Kevin Williamson decidissem investir em Amityville”. Seguindo a linha das milhões de fitas de terror protagonizadas por adolescentes, este quinto longa-metragem, lançado direto em VHS, mostra um grupo de jovens imbecis que, por pura diversão ou falta do que fazer, ignoram a trágica mitologia de uma casa cujo dono, um padre, fora assassinado, e resolvem passar uma noite no tal lugar. Tema batido? Não, impressão sua…

nível de medo: 5%. A mesa do Fanboy no escritório d’A ARCA assusta muito mais que este filme! Passe bem longe da produção… e também da mesa do Fanboy. ;-D

• Amityville: Uma Questão de Hora (1992)

o diretor: Tony Randel
quem estava na casa: Stephen Macht, Shawn Weatherly, Megan Ward, Damon Martin, Nita Talbot, Dick Miller.

o que rola: O sexto rebento da cinessérie é um derivado da história de Amityville 4, por sua vez inspirado num conto escrito por um oportunist… ops, autor de horror chamado John Jones (cuma?). Esqueçam o tal abajur: agora o objeto amaldiçoado vindo direto de Long Island é um relógio. Quando o artefato marca meia-noite em ponto, a residência de Jacob Sterling, o novo dono do relógio, adquire as características do antigo lar de Ronald DeFeo. Macabro! E isto não foi um elogio de jeito algum.

nível de medo: 15%. Por mais incrível e bizarro que possa parecer, até que este Amityville 6 é tolerável. Ao menos quando você está cercado de amigos baderneiros que estão mais preocupados em zonear do que assistir filme. Mas só neste caso!

• Amityville 7: Uma Nova Geração (1993)

o diretor: John Murlowski
quem estava na casa: Ross Partridge, Julia Nickson-Soul, David Naughton, Lala Sloatman, Richard Roundtree, Terry O’Quinn.

o que rola: Pegue a mesmo idéia de objeto amaldiçoado de Amityville 4 e Amityville 6 e aplique aqui. Entretanto, substitua o abajur e o relógio por um… espelho. Pronto! Esta é a história de Amityville 7, outra obra-prima (isto foi irônico) cujo destino é pegar mofo na prateleira da vídeo-locadora. Socorro!

nível de medo: 0,5%. O único pavor aqui é tentar descobrir o que caras legais como David Naughton (o astro do ultralegal Um Lobisomem Americano em Londres) e Richard Roundtree (o eterno Shaft da TV) estão fazendo perdidos nesta joça.

• Amityville, a Casa Maldita (1993)

o diretor: Steve White
quem estava na casa: Robin Thomas, Starr Andreeff, Allen Cutler, Rachel Duncan, Jarrett Lennon, Lisa Robin Kelly.

o que rola: Aqui, o negócio já virou palhaçada. Vejam só a pseudo-história: um indivíduo qualquer acha uma casa de bonecas jogada no meio da rua, e decide levá-la para dar de presente à sua filhinha. Só que a tal casa de bonecas é uma mini-réplica perfeita da infame mansão assombrada, o que faz com que a família passe a viver um pesadelo, que de “pesadelo” não tem nada. Difícil de engolir, não? Pelo menos tem a presença tosca mas bonita de Lisa Robin Kelly, a irmã do Eric Forman nas primeiras temporadas de That’s 70’s Show. Pensando bem, isto não é lá grande coisa.

nível de medo: Medo? Mas isto não é uma comédia?

Bem, agora que todos já conhecem a real história e a lenda da macabra e infame casa mal-assombrada de Amityville, é só correr para o cinema para conferir a nova fita! Se tudo o que aconteceu é mesmo fato ou ficção, nunca saberemos – a não ser que algum culhão aí tenha as manhas de passar uma noitinha lá na cidade… Se é tudo mentira, não importa: a semente já está plantada. E já dizia o glorioso cineasta-mór John Ford: entre a verdade e a lenda, fique sempre com a lenda!

E pra finalizar: quem tem medo do Patrick Swayze levanta a mão! :-)

AMITYVILLE – A LENDA, OS FATOS E OS FILMES
Matéria publicada originalmente em A ARCA em 15/08/2005
Complemento do especial para a estréia do longa-metragem HORROR EM AMITYVILLE (The Amityville Horror).

Anúncios

4 Responses to Amityville – A Lenda, os Fatos e os Filmes

  1. Gostaria de saber c a história é ou ñ veridica…. Afinal ñ c deixou isso claro nos comentários que li…. Obriigado..

  2. Mila Mendonça disse:

    Poxa eu não sabia que tinha tantos filmes sobre Amityville, eu só assisti Horror em Amityville…nível de medo…uns 70% rsrsrsrs…Bom acredito no que vejo, mas a história é 100% horripilante. Li o livro e fiquei apavorada…fala serio, eu não ficaria naquela casa nem uma noite, muito pelo contrario sairia gritando…
    Vou assistir o primeiro filme, e espero que seja realmente de se borrar de medo…Valeu!!!!!

  3. Isabela disse:

    A casa de amytiville e iscrivel foi a historia mas assutadora da minha vida eum dia eu vou la pro estados unidos pra dicobri esse misterrio

  4. Kamila disse:

    Irado!!!tudo mundo deveria sabrer disso,um dia eu vou fazer intercanbio,mas falando sério é realmente assustador e eu quero saber mais:-o

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: