Separados Pelo Casamento

Crítica de Cinema – Texto publicado originalmente em A ARCA, em 26/06/2006.

Separados Pelo Casamento (The Break-Up)

Olhe bem o cartaz oficial de Separados pelo Casamento (The Break-Up, 2006), que está aí ao lado, antes de qualquer coisa. Olhou? Beleza. Agora acompanhe meu raciocínio: se você observa a expressão do digníssimo senhor Vince Vaughn à sua esquerda, você imagina que trata-se de uma comédia rasgadíssima, bem aos moldes de Penetras Bons de Bico, correto? E se você observa a carinha linda de Jennifer Aniston à sua direita, a impressão é de que esta é mais uma comédiazinha romântica mela-cueca como tantas que ela protagonizou em sua fase-Friends, como Paixão de Ocasião, correto? Pois é, se você pensou desta maneira, pensou como eu. E o trailer da fita só fortalece esta impressão.

Entretanto, como diria o famigerado Lex Luthor… WROOOOOOOOONG! E duas vezes! Nem uma coisa, nem outra. Na verdade, antes de ser um longa estrelado por Vince Vaughn e Jennifer Aniston, Separados pelo Casamento é um longa dirigido por Peyton Reed, cineasta californiano responsável pelo bacaninha Abaixo o Amor (2001). Com a fitinha ambientada nos anos 60 e estrelada por Ewan McGregor e Renée Zellweger, Reed, considerado um pupilo direto e mais acessível de Woody Allen, demonstrou talento nato em utilizar romancezinhos equilibrados entre drama e comédia para desconstruir a boa e velha guerra dos sexos com histórias ácidas e de fácil identificação com o público.

Separados pelo Casamento não é nada além de mais um (bom) exercício deste estilo que Reed delineou em Abaixo o Amor – estilo, por sinal, que tem o poder de fazer a platéia se espelhar no ato e detonar qualquer relação meio desgastada… Hehehe! :-D

Aliás, comecemos com uma correçãozinha: o plot divulgado pelo estúdio aponta o enredo como a história de duas pessoas que acabaram de se separar e iniciam uma guerra ao serem forçadas a dividir o apartamento da qual não querem abrir mão. A coisa não é bem assim; ao ler este plot, imagina-se uma série de gags estúpidas, no bom sentido, bem ao estilo da clássica telenovela global Guerra dos Sexos – alguém aí lembra do violentíssimo café da manhã entre Paulo Autran e Fernanda Montenegro? -, e definitivamente não é este o caso. A história da dissolução do casal formado pelo guia turístico Gary Grobowski (Vaughn) e pela designer artística Brooke Meyers (Aniston) tem lá seus momentos cômicos, mas é, em sua essência, bem sutil, sério e comedido.

Podemos dizer, para resumir, que em termos de comédia e até de estrutura narrativa, Separados pelo Casamento aproxima-se bastante do já clássico Harry & Sally – Feitos Um Para o Outro (1989). Ou então, podemos dizer que trata-se de uma anti-comédia romântica que destrói todos os estereótipos do gênero. Como disse o próprio Peyton Reed em uma entrevista, Separados pelo Casamento é sim uma comédia romântica. A diferença é que, enquanto as fitas deste subgênero retratam o despertar do amor, mesmo infestadas de conflitos entre seus protagonistas, esta aqui é focada na falência do amor.

Então, bora lá para a história: Gary e Brooke conhecem-se durante um jogo de beisebol, logo começam a namorar e passam dois anos convivendo sob o mesmo teto e dividindo suas atenções entre seus amigos e suas famílias. Uma briguinha inútil – 3 limões quando deveriam ser 12 limões, a falta de tolerância com o cunhado “mala”, o apê que tem espaço para uma mesa de sinuca rejeitada por ela, uma ajudinha na louça ao invés do videogame – desencadeia uma discussão mais acalorada. Brooke acha que Gary não dedica-se ao relacionamento como deveria, enquanto Gary acredita que Brooke exige demais. Sem entrar em um acordo que facilite a vida de ambos, o casal entende que provavelmente não foi mesmo “feito um para o outro” e então decide separar-se.

Só há um porém: ninguém sai do apartamento. Gary sabe que é questão de tempo até que ela saia; Brooke sabe que é questão de tempo até que ele saia. Na verdade, tanto um quanto o outro tem consciência de que o apê representa a última chance de uma possível reconciliação – embora passem os dias a provocar-se mutuamente e tratar-se com a delicadeza de um rinoceronte (?), Gary e Brooke no fundo esperam que a convivência forçada faça com que um entenda a posição do outro e este problema finalmente seja sanado. Mas será que esta é mesmo a saída ideal?

Como pode-se ver, não é mesmo uma trama que dá espaço para situações cômicas. Bem, em partes. Há, sim, momentos engraçadíssimos – e quase todos eles respondem pela ótima química entre Vaughn e Aniston, e também pela hilariante galeria de personagens secundários, com destaque para o psicótico amigo de Gary, o dono de bar Johnny O (Jon Favreau); a melhor amiga de Brooke, a mãe-de-família Addie (Joey Lauren Adams, a nossa formosa Alyssa Jones); o tosquésimo irmão de Brooke com tendências “musicais”, Richard (John Michael Higgins, de Arrested Development); e principalmente, eu digo PRINCIPALMENTE, a chefona Marilyn Dean (Judy Davis) e o afetadíssimo coleguinha de trabalho de Brooke, Christopher (Justin Long). Sério, dá uma olhada na foto do dito cujo e você já tem uma idéia do que está por vir…

Desde já, Separados pelo Casamento merece qualquer troféu de Melhor Elenco de qualquer festival ou de qualquer premiação de cinema que role por aí! ;-)

Mas um aviso aos desavisados (redundante, eu?): a fita tem uma série de momentos hilariantes mesmo. Num saldo geral, entretanto, é um longa absolutamente dramático – não melodramático e sim sutil, mas ainda um drama. Os personagens esquisitos e as seqüências cômicas estão lá somente para equilibrar a seriedade do enredo e de boa parte dos diálogos, portanto, não espere o tipo de humor visto em Penetras Bons de Bico. Ao contrário: a profundidade de alguns embates verbais entre Gary e Brooke é de impressionar – com destaque para a tola discussão que trilha um caminho mais violento e culmina na separação. Se você quer rir de verdade, Separados pelo Casamento talvez não seja a melhor opção… É melhor trocar de sala e assistir Garfield 2, pelo menos você dá risada de nervoso. :-D

Tá, mas afinal de contas… Separados pelo Casamento é ou não um bom filme? Claro que sim – embora seja também uma prova de que jamais devemos confiar em trailers. Como comédia, é bem pra baixo. Como drama, é divertidíssimo. Como comédia-romântica-padrão-de-Hollywood, é diferente (e melhor) de tudo que anda rolando nas telonas nestes últimos meses. Justifica numa boa o ingresso, desde que o espectador saiba onde está se metendo. E se você anda meio enrolado(a) com a(o) namorada(o), por favor FUJA! Afinal, não quero ver ninguém destruindo namoro nenhum e colocando a culpa em mim… hehehe. ;-)

CURIOSIDADES:

• O ator Peter Billingsley, que vive o calado marido da personagem de Joey Lauren Adams, é produtor executivo do filme. Ele não atuaria inicialmente; apenas leu as falas do personagem durante os ensaios, para sanar a ausência do ator que a princípior faria este papel. Ao final, tomou gosto pela coisa e acabou ficando com o papel.

• À exceção de Jennifer Aniston, todos os integrantes do elenco têm uma longa relação de amizade com Vince Vaughn. Jon Favreau, por exemplo, escreveu o roteiro do longa que alçou Vaughn ao circuitão hollywoodiano, o divertido Swingers: Curtindo a Noite, de Doug Liman; Justin Long (o namorado de Lindsay Lohan no novo Herbie) sempre aparece nos filmes de Vaughn, seja em pontas não-creditadas ou em papéis definidos, como em Com a Bola Toda; Peter Billingsley produziu Zathura – Uma Aventura Espacial, dirigido por Favreau e co-produzido por Vaughn; Vincent D’Onofrio, que interpreta o tosco irmão certinho de Gary, dividiu as telas com Vaughn em A Cela; e Jason Bateman, o corretor amigo do casal Gary e Brooke, atuou em Starsky & Hutch.

• O pai de Gary é vivido pelo próprio pai de Vince Vaughn, Vernon Vaughn.

• Will Ferrell e Ben Stiller não aparecem neste filme em ponta nenhuma. OBRIGADO, SENHOR. :-D

THE BREAK-UP • EUA • 2006
Direção de Peyton Reed • Roteiro de Jeremy Garelick, Jay Lavender e Vince Vaughn
Elenco: Vince Vaughn, Jennifer Aniston, Joey Lauren Adams, Jon Favreau, Cole Hauser, Jason Bateman, Judy Davis, Justin Long, Vincent D’Onofrio, Ivan Sergei, John Michael Higgins, Ann-Margret, Peter Billingsley.
105 min. • Distribuição: Paramount.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: